SPES 2009

Duo SPES

Fagote
Violino + Viola pomposa

 

IracemaSimon-2009

Foto de Iracema Simon (fagotista) por Rafaela Zakarewicz, 2009.

Músicos

 

Iracema Simon

Iracema Simon, natural de Brasília, licenciada em Música pela Universidade de Brasília (2008), onde foi pesquisadora e professora do programa "Música para Crianças" sob orientação do Prof. Dr. Ricardo Dourado Freire (2005-2007), e coordenou o núcleo de flauta-doce em 2006 e 2007. Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica da CNPq (PIBIC) com o tema "Solfejo na Performance Musical" (2005-2007). Atualmente realiza seu mestrado em interpretação de fagote na Universidade de Évora desde 2010 na classe do Prof. Eduardo Sirtori. Anteriormente, iniciou seus estudos musicais aos 7 anos de idade na Escola de Música de Brasília (EMB), tendo frequentado classes dos fagotistas: Flávio Lopes (EMB-OSTNCS), Gustavo Koberstein (EMB-OSTNCS) e Cristina Porto (EMB). Fez estágio supervisionado no "I Festival Internacional de Inverno de Brasília" (Julho/2005) tendo aulas com o fagotista Alexandre Silvério (OSESP).

O ano de 2008 foi artisticamente intenso: participou da turné internacional do Grupo SPES na Espanha, França, Hungria e Inglaterra; concerto em Araripe na II Mostra de Música Antiga e em Juazeiro do Norte em novembro para o lançamento do CD Imagens. Retornou à Europa com SPES em 2009 (Inglaterra e Polônia) e 2010 (Universidade Nova de Lisboa). Uma das idealizadoras do Concurso Nacional de Composição do Quarteto Lignea 2010, realizando a premiação solene no Mosteiro de São Bento de Brasília em julho de 2011. Utiliza fagote Bell 2011.

 

Zoltan Paulinyi (violino e viola pomposa)

Zoltan Paulinyi-2009

Foto de Zoltan Paulinyi (violinista) por Rafaela Zakarewicz, 2009.

Zoltan Paulinyi, natural de Belo Horizonte, é professor de violino e composição, detentor de "uma extraordinária capacidade ao empreendimento de obras complexas" (BUZELIN, Jornal Hoje em Dia, 18/10/2010). Recebeu primeira colocação no Programa "Bento de Jesus Caraça 2011/2012" pela sua pesquisa em composição na Universidade de Évora sob os auspícios do Governo do Distrito Federal e do Teatro Nacional Claudio Santoro em Brasília, onde é violinista da Orquestra Sinfônica desde 2000, solista das violas em 2009 e solista dos primeiros violinos em 2007 e parte de 2010.

Como compositor, Paulinyi foi o primeiro a estrear e transmitir ao vivo uma ópera brasileira, 120 anos após Carlos Gomes. Paulinyi é criador dos Concursos de Composição "Amizade 2006" e "Lignea 2010". Principais encomendas de composições e projectos artísticos: Grupo Contemporâneo da Universidade de Évora (2011) para estreia da ópera Biblioteca, Embaixadas Brasileiras em Budapeste, Madrid e Paris (2008), Embaixada Brasileira em Londres (2009), Orquestra da Escola de Música de Brasília (2008), Orquestra de Mato Grosso (2007).

Iniciou carreira como violinista na Casa da Ópera de Ouro Preto aos 8 anos na classe do Prof. Ricardo Giannetti (escola Flesch-Odnoposoff). Frequentou dezenas de festivais e cursos internacionais tendo aulas com os violinistas Ruggiero Ricci, Leopold La Fosse, Micaela Comberti e composição com Oiliam Lanna (UFMG), Oscar Edelstein (Argentina), Harry Crowl (UFPR), e Christopher Bochmann (seu orientador atual). O reconhecimento de seu trabalho junto à crítica da imprensa veio com o Troféu Pró-Música "Prêmio de Revelação do Ano 1998" (Minas Gerais), além da vitória no Concurso Nacional "Jovens Solistas" de Goiânia (UFG, 2002) e seleção da Bienal da FUNARTE em 2005 e 2009.

Mestre em Música (musicologia histórica) pela Universidade de Brasília (UnB, 2010) com dissertação sobre Flausino Vale e Marcos Salles, bacharel em Física pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, 1999) onde foi bolsista da CAPES (1995-1998). Além de publicações acadêmicas internacionais desde 2001, coproduziu 3 CDs bilíngues com obras suas, incluindo as primeiras imagens de viola pomposa transmitidas por televisão (TV Senado, 2008/9). Suas composições são editadas pela Load (Suíça).

Sobre a viola pomposa

Zoltan Paulinyi utiliza uma rara cópia da viola pomposa "La Parmigiana" 1765 de Guadagnini na montagem original pentacorde com a corda mi aguda acrescentada. Este instrumento, único noticiado em toda a América, foi feito pelo luthier Carlos Martins del Picchia (12/2006). Arco utilizado é de H. Pfretzschner, século XIX.