Zoltan Paulinyi

Violinista e compositor

Zoltan Paulinyi 2009

Vasculhar em Paulinyi.com

 

Áudio:
oneRpm
, iTunes
oneRpm iTunesLogo

Vídeos
youTubeLogo

Partituras:
LoadCDlogo

(Catálogo MusicaNeo)


Curriculum Vitae
cnpqLogo

Divulgação:
Movimento.com


Contato pessoal:
Paulinyi@yahoo.com

Grupos de câmara:
Barroco e contemporâneo listado em MúsicaErudita
Duo SPES, Duo Magyar, Quarteto Lignea, Trio Sonare (barroco)

Coprodutor de CDs:
CD Imagens,
Quinteto Amizade,
Vibrações Variantes

Aulas de Húngaro
em Belo Horizonte

Feed-iconRss feed.

 

Perfil

 

Zoltan Paulinyi, compositor e violinista detentor de "pleno domínio do instrumento" e de "uma extraordinária capacidade ao empreendimento de obras complexas" (BUZELIN, Jornal Hoje em Dia, 18/10/2010). Ruggiero Ricci o descreveu como "violinista excepcionalmente talentoso" (2000).

 

Histórico profissional

Diretor artístico da Temporada de Música do MSB, fundador do Coral do MSB (2013), idealizador dos prêmios internacionais de composição Twiolins+Spes 2012, Quarteto Lignea 2010, Quinteto Amizade 2006. Paulinyi é doutor em música/composição (Universidade de Évora, 2013), mestre em musicologia histórica (Universidade de Brasília, 2010). Integra a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional desde 2000 como primeiro violinista, solista de viola em 2009, solista de primeiro violino em 2007 e 2010. Pesquisador da UnIMeM (2010-), vencedor do Programa Bento de Jesus Caraça da Universidade de Évora 2011-2013, onde lecionou práticas interpretativas históricas e música de câmara. Vencedor do Concurso Nacional Jovens Solistas da Universidade Federal de Goiás (UFG 2002). Troféu Pró-Música "Prêmio de Revelação do Ano 1998" dos críticos da Imprensa de Minas Gerais. Detentor de "uma extraordinária capacidade ao empreendimento de obras complexas" (BUZELIN, Jornal Hoje em Dia, 18/10/2010), descrito como "violinista excepcionalmente talentoso" por Ruggiero Ricci.

Natural de Belo Horizonte, começou estudando música aos dois anos e meio de idade, realizando sua primeira apresentação como violinista na Casa da Ópera de Ouro Preto aos 8 anos, na classe do Prof. Ricardo Giannetti (da escola Flesch-Odnoposoff). Frequentou dezenas de festivais e cursos brasileiros e europeus, tendo aulas com os violinistas Ruggiero Ricci, Leopold La Fosse, Sidney Hart, Micaela Comberti. Estudou composição com Dr Oiliam Lanna (UFMG) e foi orientado por Dr Christopher Bohcmann (Univ. Évora, 2010-2013), além de Masterclass com Peter Eötvös (BMC, Budapest, abril/2013).

Como solista, Paulinyi atuou em orquestras brasileiras, incluindo OSTNCS, OSMG, SESI-Minas, Sinfônica de Goiás, UFPR; em orquestras internacionais: Hackney Youth Orchestra, Gli Archi di Firenze. Estreou o concerto Antíteses de Harry Crowl para viola pomposa com a Orquestra da UFPR em (Antonina e Curitiba, 2009) e Paisagens n.2 em Brasília (2013). Participou em mais de 20 gravações e filmagens premiadas, citando produções próprias dos CDs do Duo MAGYAR, do Quinteto AMIZADE e do CD Imagens (solo e câmara), além de entrevistas e recitais filmados pela TV Senado (2004; 2008 foi ano da primeira transmissão televisiva de um recital de viola pomposa).

Suas composições foram internacionalmente estreadas em Festivais da Romênia (Oradea 2002, 2004) e nas Bienais da Funarte (RJ, 2005 e 2009). Como compositor, Paulinyi foi o primeiro a transmitir ao vivo uma estreia de ópera brasileira, 120 anos após Carlos Gomes em Portugal (Évora 2011). Principais encomendas pelas Orquestras do Mato Grosso (2007) e EMB (2008). Paulinyi casou-se com Iracema em 2006, com quem forma o Duo SPES para divulgação e intercâmbio internacional de música brasileira. O Duo SPES, na direção artística dos concertos do MSB (Brasília, 2011-), apresenta-se frequentemente com convidados na Espanha (Madrid, 2008-2011; Badajóz 2012), Portugal (Lisboa, Porto, Évora, Braga, 2010-2012), Inglaterra (Londres 2008 e 2009, Hull 2012), Polônia (Poznán e Dobrzyca 2009), Hungria (Budapest 2008), Irlanda (Dublin 2012), França (Paris 2008). A histórica palestra-recital na Academia Grieg da Noruega (Bergen, 2011) homenageou os 120 anos do modernismo brasileiro por Nepomuceno em Bergen.

Agradecimento aos patrocinadores

Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (Brasília, 2010-); Programa Bento de Jesus Caraça da Universidade de Évora (2011-2012); Ministério da Cultura (para Lisboa, 2010), Caixa Cultural e UFPR (Curitiba, 2009), Embaixada da Espanha em Brasília (Série SPES 2009), ORMIMAQ (Belo Horizonte) e FAC (GDF) para os discos (2002-2009). Ministério das Relações Exteriores (Hungria, Espanha e França 2008, Londres 2009), Orquestra de Mato Grosso (encomenda de arranjo em 2007), Rotary Club Brasília (recital Brescia-Paulinyi, 2004), Banco Emblema e Sociedade Amigas da Cultura (Fréderic Meinders-Paulinyi, Belo Horizonte, 1997-1998), CAPES (bacharelado na UFMG, 1995-1998).